Tratamento para melasma

Manchas escuras amarronzadas, principalmente nas bochechas, testa e nariz, podem aparecer não apenas em consequência da exposição excessiva ao sol, mas também devido à produção excessiva de melanina, responsável pela formação de melasma.

Apesar do problema aparecer em indivíduos já predispostos geneticamente, sua causa exata ainda é desconhecida. O que se verificou até agora é que este tipo de mancha atinge principalmente mulheres (em 90% dos casos), a maioria de etnia hispânica, asiática e africana.

Ultimamente observou-se que até as lâmpadas comuns emitem luzes capazes de estimular a síntese de melanina. Além das áreas do rosto, antebraços e o colo também podem apresentar as manchas, já que são constantemente expostas às radiações ultravioletas.

Antes de definir qual a melhor forma de tratamento, o profissional tem que informar ao paciente todos os detalhes sobre o problema. O primeiro deles é que o melasma dificilmente é removido.

Vale lembrar que as pessoas de pele extremamente sensível à luz são mais suscetíveis a desenvolverem o problema. Portanto, mesmo após dar início ao tratamento para clarear as áreas do rosto manchadas, a sensibilidade à essa exposição continua.

Tratamento
Para amenizar o problema, os métodos de tratamento estéticos podem dar boas respostas. Mas, a definição do melhor método, que pode incluir a ingestão de medicamentos, depende de uma avaliação médica. Analisamos o quadro geral do paciente, bem como a profundidade da mancha, o local onde ela nasceu, se há outros fatores além do melasma.

Um dos métodos mais conhecidos de tratamento para melasma é o peeling. Com o objetivo de uniformizar e clarear a pele, essa técnica possui solução desengordurante, de ácidos e máscara de ativos clareadores.

A paciente pode sentir um leve ardor na hora da aplicação, descamação da pele e eritema nos dias seguintes à aplicação, mas o procedimento é totalmente indolor. Em média são realizadas entre quatro e seis sessões, que podem ser semanais, quinzenais ou mensais, dependendo do caso.

Os lasers e as luzes têm sido outras opções para diminuir esses tipos de manchas. Mas, por causa dos efeitos colaterais, como o risco de piora no aparecimento de melasmas, esses métodos ainda não têm a mesma aderência dos pacientes, isto se levarmos em consideração os outros meios disponíveis no mercado.

Independente da escolha do tratamento, o paciente deve sempre aplicar o filtro solar no rosto e no restante do corpo até três vezes ao dia. Isto porque, as pessoas que desenvolvem este problema, geralmente têm sensibilidade à luz, e assim, a falta de proteção na pele pode levar ao surgimento de novas manchas.

Fonte: Portal Terra

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s